Por que propostas que defendem o corte de araucárias para salvar a espécie são injustificáveis

Ou seguimos o caminho de um negócio que já se extinguiu como atividade econômica de alguma relevância em meados do século passado, ou avançamos com inteligência e bom senso para um novo capítulo de nossa história

segunda-feira, 14 de agosto 2017

Acesse este artigo no portal O ECO.