Modernidade Líquida • Livro

Vivemos um momento difícil e que exige reclusão e o exercício da empatia, afinal, nossas atitudes e decisões, esse vírus comprova mais a cada dia, afetam, beneficiam ou prejudicam o coletivo. Vivemos tempos de compreender a importância da internet e das redes sociais para a promoção da informação, mas também de escolher os conteúdos que queremos ler e absorver.

quarta-feira, 01 de abril 2020

Vivemos um momento difícil e que exige reclusão e o exercício da empatia, afinal, nossas atitudes e decisões, esse vírus comprova mais a cada dia, afetam, beneficiam ou prejudicam o coletivo. Vivemos tempos de compreender a importância da internet e das redes sociais para a promoção da informação, mas também de escolher os conteúdos que queremos ler e absorver. E o hábito da leitura de qualidade, acreditamos, é fundamental para construir uma sociedade mais informada, menos manipulada e mais responsável.

Pensando nisso, a obra que indicamos hoje é “Modernidade Líquida”, de Zygmunt Bauman. O livro representa uma grande oportunidade para pensar sobre o que estamos fazendo com o mundo e com as nossas vidas. Ele fala de uma sociedade
caracterizada pela efemeridade e pela necessidade de tudo precisar acontecer em um curto prazo. A velocidade e a instantaneidade das nossas rotinas tornariam, portanto, tudo muito “líquido”, ou seja, muito vago, passageiro e superficial. Os conceitos e os valores humanos se tornariam, então, relativos e não mais sólidos e concretos. Nessa sociedade, o consumo flerta diretamente com a efemeridade. O desejo de consumir é o que importa, mas quase nunca se tem satisfação de ter adquirido algo.

De acordo com Bauman, esse consumismo decorre não da necessidade de
precisar de algo, mas de desejos, que também são voláteis, questionáveis e frutos da ansiedade e da insatisfação pessoal.

Essa cultura da instantaneidade, marco da nova sociedade moderna (líquida, como caracteriza Bauman), para o autor, conduz a cultura humana a um território que a evolução da espécie preocupante.

Reflexão e leitura fundamentais para mantermos a saúde mental em tempos de pandemia, não? Vamos pensar sobre isso?